Top30 Os melhores sites da Internet

 

Página Inicial > Diversas > Trotes Universitários: “Brincadeira” Que Pode se Tornar Um Crime!

Tópicos recentes

Trotes Universitários: “Brincadeira” Que Pode se Tornar Um Crime!

trote universitarioQuem passa no vestibular já sabe que provavelmente passará por alguma brincadeira, seja ela com a própria família ou com os novos colegas da universidade. Muitas brincadeiras tornaram-se tradicionais a muitos calouros ao ingressarem em uma universidade que são chamados de trotes universitários.

O trote universitário ou estudantil é como uma cerimônia de passagem obrigatória para festejar a aprovação no vestibular, realizada pelos veteranos. Isso com o objetivo de haver interação entre todos os universitários. Os trotes mais corriqueiros são de raspar a cabeça, pintar os corpos e roupas com o nome da universidade ou do curso que passou como também rasgar roupas, pedir dinheiro no cruzamento da cidade até atingir o valor estipulado pelos veteranos. O problema é que cada vez mais veteranos incluem nos trotes universitários bebidas alcoólicas, produtos químicos e até mesmo drogas. Fazendo que uma “brincadeira” se torne até mesmo um crime.

trote universitarioAs histórias dos trotes universitários violentos no Brasil possui vários capítulos trágicos, só este ano já foram registrado três casos. Um, foi o calouro de geografia, de apenas 17 anos, foi encontrado desmaiado no campus da UFPR (Universidade Federal do Paraná) depois de ser obrigado a engolir grande quantidade de álcool. O estudante geografia ficou em coma alcoólico por mais de 20 horas. O segundo foi em Fernandópolis da Unicastelo (Universidade Camilo Castelo Branco), na qual os veteranos obrigaram um calouro de 18 anos a pedir dinheiro, tomar álcool combustível, fumar e ainda rasgaram toda sua roupa. Já o terceiro caso aconteceu na Escola Superior de Propaganda e Marketing em São Paulo (ESPM), onde o primeiro dia de aula ficou marcado por uma briga entre dois calouros que deixou um com o nariz e os dentes quebrados.

troteMas um caso que chocou o país e marcou um inicio de uma grande discussão dos trotes universitários foi o que aconteceu na Universidade de São Paulo há 11 anos atrás. No 1º dia de aula um grupo de calouros foi submetido a diversas humilhações. Alguns tiveram as mãos amarradas, corpos pintados com tintas e depois atirados em uma piscina. Entre eles estava um rapaz de 22 anos que não sabia nadar e acabou morrendo afogado. Além do trágico fim de um sonho de um rapaz, até hoje os acusados não foram punidos.

trote solidariosA partir de então as universidades começaram a reagir e tem se mostrado preocupadas em extinguir tais práticas. Através de campanhas de conscientização, incentivo aos chamados trotes cidadãos ou trotes solidários, como também muitas universidades têm criado centrais de atendimento que recebem denúncias de casos de abuso. Como pro exemplo é caso da USP que implantou o Disque Trote (0800 012 10 90).

Mas a prática do trote universitário não é exclusividade do Brasil. O Brasil apenas copiou! Pois tais “brincadeiras” (chegam ser mais abusos mesmo) surgiram em universidades européias para distinguir alunos novatos dos antigos, que eram considerados inferiores dos que já estavam prestes a se formarem. O primeiro caso de violência surgiu na Alemanha, onde os novos estudantes foram obrigados a beber vinho com urina e comer alimentos misturados com fezes.

Portanto, devido a inúmeros casos trágicos de trotes universitários, espera-se que as universidades sejam mais rigorosas com tais práticas, havendo punição severa para quem cometer práticas de violências, abusos e maldades a tais calouros. Caso contrário, isso não terá fim.

 
 

Tags: Tags: , , , ,

  1. VILZA ANTONIA
    7, setembro, 2013 em 23:46 | #1
    Pra se tornar um profissional, alem de ter que estudar muito, tem que passar por sofrimentos humilhações, trotes indecentes e pra ser BANDIDO não precisa nada disso. Que país é esse?????
  2. mateus da silva santos
    1, março, 2013 em 23:29 | #2
    Isso tem q ter fim por completo. Isso foi criados com regras e nao levaram-nas a serio, se continuar, novamente algum dia vai aparecer outros pessoas para infriji-las.
  3. António
    12, abril, 2012 em 14:30 | #3
    Olá. Li o artigo com curiosidade, pois não sabia que as universidades brasileiras também usavam o tristemente famoso trote. (Neste lado do Atlântico, Portugal chamam “praxe académica”). Também cá esses rituais são bastantes polémicos, porque existem muitos abusos que por mim acabariam hoje mesmo. É uma imbecilidade, uma cretinice completa a sua existência. Calouros há que são tão molestados que ficam traumatizados, abandonando os estudos (que poderiam ser promissores).
    A universidade gasta milhões ao erário público, pelo que a função dos alunos é o estudo e não essa porcaria de trotes ou praxes.
    É a minha opinião.
    Saudações, em particular ao Rio de Janeiro onde tenho família (Ilha do Gov. e Meier), já fui e é a naturalidade da minha cara-metade. Chau.
  4. Edinho
    14, fevereiro, 2012 em 19:15 | #4
    Nunca vi algo que revele com tanta nitidez a ignorância desse país, além de ser desnecessário, é realizado com brincadeiras idiotas, de baixíssimo nível, e na minha opinião, deixa os novatos com, muitas vezes, raiva dos veteranos. Sinceramente o trote deveria acabar e se for realizado receber graves punições, no caso de morte de um novato, o veterano que o assassinou deveria receber, se no brasil tivesse, prisão perpétua no mínimo.
  5. Aline
    31, agosto, 2011 em 15:48 | #5
    Sou a favor, contanto que seja uma coisa sadia.
    Muito boa a ideia de aderir a ‘ trotes solidarios ‘ pois assim os calouros interagem entre si e também ajudam a sociedade, fazendo com que não termine em violência e sem perder tempo com coisas banais, vendo que estejam começando uma trajetória de muitas responsabilidades.
  6. Jéssica
    10, agosto, 2011 em 17:27 | #6
    Sou a favor do trote sim, mas como uma grande brincadeira, sem atitudes de violência, pois o trote é uma forma de recepcionar os calouros e de socializá-los aos colegas universitários.
    Entrar pra faculdade e não ter nenhum trote é a mesma coisa de estar entrando em um coléjão, muito sem graça.
    E outra, a história da maldição de que calouro que não participa do trote não se forma é verdade viu…cuidado ai aos bando de frutinhas leitinho com pêra que não quiserem participar.
    Maldição de veterano é pior que praga de mãe.
  7. 5, maio, 2011 em 13:34 | #7
    Bom ou ruim a prática do trote deveria acabar , até pq na idade média ele começou com uma intenção benéfica , e hoje em dia ele se tornou mais uma prática banal da violência , o que já é tratado de forma comum no país em que vivemos.
  8. 5, maio, 2011 em 13:31 | #8
    ignorancia é tb seu português (+1)*–*
  9. André
    23, março, 2011 em 21:38 | #9
    Só não gosta quem nunca participou!!
  10. ….
    1, março, 2011 em 17:29 | #10
    @Maria Lucia Oliveira ignorancia tbm é seu portugues viu skspskspskss
  11. 13, fevereiro, 2011 em 10:42 | #11
    Esses trotes é uma grande falta de respeito, e uma tremenda ignorância, o Brasil é garante de bons profissionais, não de ignorantes
    Infelizmente para os pais é um grande sofrimento, em saber que os filhos vão passar, por esta estupidez. Eu mesma fiquei chorando com medo da minha filha ser vitima da estupidez, no seu primeiro dia aula mais graças á Deus o Centro Universitário de Sete Lagoas MG que ela estuda não permite. É preciso que os dirigentes destes centros de ensinos não,permita essas atrocidades e humilhações. com pena de prisão, perde e o direito de continuar estudar no mesmo centro de ensino, seja quem for. É preciso que a paz prevaleça Jesus é caminho
  12. Leonardo
    2, fevereiro, 2011 em 01:53 | #12
    Acho q o trote pode haver sim, é um jeito de integrar os novos alunos, eles se conhecerem e ficarem mais amigos, mas eu digo trote normal…como brincadeira de andar de elefantinho, passar palito na boca e até fazer pedágio pros veteranos…mas arrancar roupa, fazer andar pelado e corta o cabelo é agressão física e moral.
  13. Mônica Leitão da Cunha
    15, julho, 2010 em 11:24 | #13
    Lamentável essa postura da maioria da sociedade que insiste em achar essa prática quase inocente,quando o que observamos é o incentivo ao sadismo e à humilhação dos que lutaram muito para estar na universidade.Dar as boas vindas sob a forma de trote vem tornando mais banal a presença da falta de respeito e a violência no nosso já tão pouco civilizado cotidiano brasileiro.
  14. Lana
    27, maio, 2010 em 19:33 | #14
    Acho isso simplesmente uma besteira! nada haver..
  15. Mauro Almeida
    20, maio, 2010 em 09:41 | #15
    quando entrei na universidade eu tinha um trauma em relação a trotes e por isso eu passei meu segundo e terceiro ano me preparando já que eu era o tipo aluno nerd e esforçado. Entrei para a academia e para o MMA, no período em que ingressei eu me envolvi em brigas com veteranos ao qual não aceitei participar do trote eu me machuquei e machuquei ainda mais a eles maass no final daas contas a culpa de tudo tanto por parte da reitoria como por parte dos outros alunos fui tido como culpado. Não devemos ddeixaar isso acontecer sem mais ou menos temos que nos impor…
  16. matheus
    18, abril, 2010 em 15:45 | #16
    eu nao vou nao
  17. André Luiz
    4, abril, 2010 em 20:18 | #17
    Além de ser um Horror, e uma marca pro resto da vida de quem passa por essa situação ..É uma pratica que não terá fim em quanto houver a FALTA DE PUNIÇÃO e principalmente a FALTA DE BOM SENSO, de cada universitario!
    UM BASTA tem de ser imposto HOJE, AGORA !
    Pois quem sofre hoje, vai querer judiar na proxima Oportunidade, é invevitalvel, querendo ou não, faz parte do Seres Humanos.
  18. jamile
    27, março, 2010 em 13:42 | #18
    o pior de tudo é q não existe punição adequada para tais abusos ..
    isso é uma vergonha para o país
  19. fernando ramos
    26, março, 2010 em 23:51 | #19
    gente eu não sei como pode um bando de adultos CIANÇAS fazer essse tipo de palhaçada babakise uma infantilidade de gente que não tem o que fazer e a policia ver e não faz nada nos temos que dar um fim nessas babakise palhaçada tato nas univesidades e tambem nas escolas e tambem concordo de fazermos uma manifestção quem gostar da ideia porfaso entra no meu orkut fernando-tjf@bol.com.br
  20. Bianca
    19, março, 2010 em 18:34 | #20
    isso é um horror a gente tem q se unir fazer um protesto pq isso nao pode ficar assim!!!

    isso tem q acabarr!!!!

  21. 10, março, 2010 em 18:36 | #21
    vamos acabar com isso!!!!!!!!!!!!!
  22. Davi Santos Serra
    15, fevereiro, 2010 em 08:29 | #22
    Quando constato que os trotes ainda persistem nas universidades, mais uma vez fica em evidência o quanto o ser humano, em sua maioria, gosta de praticar o lado fútil de sua personalidade. Essa história de que o trote é uma forma de comemoração, ou de integração dos novos alunos com os mais antigos é uma fachada para esconder o verdadeiro objetivo de tal ato tão desprezível que é pessoas sentirem o prazer de se colocar como autoridade perante outras, por meio de humilhações disfarçadas de brincadeiras. É apenas uma forma medíocre de essas pessoas se auto-afirmarem.
  1. Nenhum trackback ainda.



Este website foi projetado para ser completamente acessível e usável, trabalhando em conformidade com as Diretrizes de Acessibilidade para Conteúdo Web (WCAG v1.0).

Se houver qualquer coisa (ocorrência) neste site relacionado a acessibilidade ou a validação que não estiver de acordo com os padrões, por favor entre em contato.